terça-feira, 8 de julho de 2008

Pormenores

O futebol português está a dar as últimas. O último episódio, que não deixa saudades, teve como protagonistas o Conselho de Justiça da Federação, que envolveu um ditador, um golpe de Estado, intervenção internacional e, quiçá, exílio no exterior.
Parece que o Presidente do CJ pretendia, na reunião que decidiria sobre os recursos de Boavista e Pinto da Costa, impedir um dos membros de votar, por incompatibilidade. O truque era simples, bem esgalhado, e típico dos tempos da Camorra, que tem dominado o futebol português desde os anos 90. Afastado o senhor incompatível (por causa de uma treta irrelevante que ainda ninguém percebeu), o presidente do CJ sabia que a decisão ficaria empatada, 3-3. E ele, como presidente, tem voto de qualidade, ou seja, desempata. E iria desempatar a favor de Boavista e Pinto da Costa, depois de, há vários meses, andar a pressionar os restantes membros do CJ para não chatear os seus amiguinhos. O senhor presidente do CJ, por acaso vereador da CM de Gondomar, presidida por Valentim Loureiro, não achou que ele próprio teria pelo menos uma incompatibilidadezita, nada, estava limpo como um lençol de água. É claro. Importava era afastar quem não cedera às suas pressões. Acontece que os membros do CJ se revoltaram, suspenderam o tipo e, à sua revelia, deliberaram. Confirmaram a condenação de Pinto da Costa e do Boavista. Não foi um episódio dignificante, mas nunca poderia ser, porque este é o último estertor do sistema que, do norte do país, controlou todo o futebol português nas duas últimas décadas.
O Porto já esfregava as mãos de contente. Juntou à pressa o seu processo ao do seu presidente, certo de ter tudo armadilhado com a decisão encomendada do CJ. Saiu-lhe o tiro pela culatra, porque finalmente alguém foi capaz de dizer basta e desmascarar esta cambada de corruptos.
Agora discute-se direito. Vejo nos jornais e na televisão grandes doutores em futebol falar de artigos e de alíneas, procurando nas entrelinhas encontrar qualquer argumento jurídico que reverta a decisão, para depois soar os tambores como mais uma grande vitória de Pinto da Costa.
O que não entendo é como toda a gente escolhe esquecer o conteúdo das escutas que todos nós conhecemos, e que provam sem margem para dúvida os esquemas de Pinto & Valentim. Falam de cabalas contra o Porto, coitadinho, e que o Benfica, esse monstro, está por detrás de tudo. Podem fazer as interpretações que quiserem, o resultado final pode ser qualquer um, nada pode mudar aquilo que toda a gente sabia e que agora, de uma vez, não deixa margem para dúvidas: Porto e Boavista compraram árbitros. E, apesar disso, só se ouvem vozes a defender os meninos, a falar de direito, a chorar pela morte do futebol português. Muitos são os mesmos que, em colunas de opinião ou aos microfones da televisão, faziam lindos discursos pela limpeza e moralização do futebol. Agora, que o sistema que lhes deu de mamar e o azul que lhes corre nas veias está ameaçado, esquecem tudo isso. Falam de alíneas, e de artigos.
Como se isso importasse, no desporto.
Aconteça o que acontecer, está tudo cá fora. Mesmo que se safem com alguma tecnicalidade jeitosa, está tudo cá fora. É uma questão de tempo até se desmoronar por completo. Vivemos demasiado tempo no meio da podridão.

Quanto ao Porto, uma última ironia: em 80% dos títulos conquistados não teriam precisado destes esquemas para nada. Mas a tentação do caciquismo nortenho foi mais forte.

5 comentários:

Anónimo disse...

Pois, coitadinho do Benfica, cujo presidente escolhe (como se ouviu nas famosas escutas) os arbitros que acha adequado para os jogos... Sacanas dos dragoes q foram campeoes europeus tb a custa dos arbitros e é p isso q os melhores jogadores dessa equipa ate desapareceram do mapa do futebol europeu. N digo q td seja limpo po lado azul e branco, mas n percebo pq é q o Benfica se arma tanto em vitima

Provedor dos Coitadinhos disse...

Anónimo, ler na diagonal poupa tempo, mas não resulta em comentários iluminados. Faça favor de ler o texto novamente - até ao fim - onde se fala exactamente da questão de o Porto na verdade não precisar de tramóias para vencer. Acontece que quando se é culpado de alguma coisa, normalmente há uma vitíma. O Benfica? Não: o Futebol.

Anónimo disse...

Provedor dos coitadinhos, posso aconselha-lo a fzr o mesmo. De facto, no final do texto o que se sugere é que em 20% dos títulos conquistados o Porto beneficiou de facto de ajudas fora de campo. Pois bem, algumas das acusações referem-se à época em q o Porto venceu a Champions. Outra refere-se a uma época em q o Porto nem foi campeão. 20% não é assim tão pouco...
Para mais, sim, ao longo do texto (porque não é so do fim do texto que se tira o sumo) vitimizam o Benfica. E a juntar ao conteúdo das escutas em que LFV tb foi apanhado a escolher árbitros, convem não esquecer que o mesmo disse que o importante não era ter os melhores jogadores, mas ter os que melhor se movimentavam nos corredores (ou algo com este sentido). Sou portista e não acho q Pinto da Costa seja inocente, mas tb n acho q seja como o querem pintar. E mt menos acho q o Benfica (ou os seus dirigentes actuais) tenham qq moral pa flr

professor x disse...

Bom aqui vai uma palavrinha de um lagarto que simplesmente tem andado a ver os títulos a passar. Temos os benfiquistas empenhadíssimos nesta questão, não pela corrupção em si, mas a ver se sobra um lugar na Champions. Temos os portistas numa de vítimas: "Ah e tal nós fomos apanhados mas vcs tb fazem, alem disso já foi há 2 ou 3 anos, por isso isto é uma cabala...". Temos o major Valentão que não tem medo de ninguem, apesar de ter deixado o Boavista na lama. Temos um Liga de clubes que é uma anedota e das más. Finalmente temos uma Federação que não ata nem desata, pois estes senhores não conseguem ser isentos.
Pronto é este o cenário do ponto de vista de um lagarto, cada vez mais distante de esta tourada À portuguesa.

provedor dos coitadinhos disse...

Para elevar o nível da conversa: estou-me a cagar. Nem Benfiquista sou. Aliás, nem sou grande entusiasta de futebol. Mas gostava de viver num país em que os que são apanhados (e bem) não viessem com balelas do tipo "os outros também fazem". Se és adepto do porto devias deixar-te de merdas e exigir da direcção do teu clube o nível que apresenta em campo. Caso contrário - ironia das ironias - é o mesmo raciocínio do Vale e Azevedo: só me investigam a mim, e os outros?

Não vos preocupais irmãos, há tempo para foder todos.