quinta-feira, 30 de setembro de 2004

Piada de caserna
"Temos como objectivo vencer a Taça Uefa" - José Peseiro.
Breve incursão pela política

Agora que tenho algum tempo disponível, gostaria de mandar uns bitaites sobre os três candidatos a secretário-geral do PS e outros assuntos circundantes.

Como já aqui alguém disse, a eleição, pelos seu pares, do José Sócrates para o cargo representa inequivocamente uma vitória do marketing sobre a qualidade do produto.
Não é que o produto PS se tenha apresentado aos longo dos anos como um produto de distinta qualidade. O que se passa é que agora já nem o tentam camuflar: "Aqui ambiciona-se o poder!", parecem afirmar todas as acções políticas dos socialistas enquanto oposição.
Resolvi, pensando até em enriquecer (ou empobrecer?) de teor político uma qualquer posta neste nosso cantinho, assistir ao debate entre os três candidatos socialistas ao secretariado-geral do partido (nunca vi tanta azáfama para se ser secretário!). Foi triste o espectáculo!
O Sócrates é, sem dúvida, um óptimo orador. Fala com açúcar na boca, diz o que deve ser dito, defende a moral, a ética, a justiça e fá-lo com um ar determinado, digno e confiante. O homem é, sem dúvida, sedutor. Mas como qualquer bom sedutor, por trás da máscara esconde-se algo substancialmente mais feio: um populismo mal disfarçado, uma vontade de ajudar os amigos, uma sede egocêntrica de holofotes e um desejo perigoso de agradar a quem lhe interessa.
Do João Soares não há muito que possa, e queira, dizer. Parece-me claramente o puto que tenta seguir as pisadas do pai. Não o digo pelo cliché que já se tornou dizê-lo. Digo-o pela sua postura, pelo seu discurso, pela maneira como abordou o debate de forma agressiva e de certa forma petulante, que, na minha opinião, e de forma diferente de Sócrates, não ambiciona o poder...precisa dele. Precisa de se (e ao papá?) provar capaz de assumir o seu lugar na dinastia Soares. De demonstrar que também ele pode ser rei. Não sei o que pensam os Srs., mas eu não quero um tipo assim a correr riscos de ser o meu Primeiro-Ministro. É que por vezes os esforços dos putos para agradar aos pais são de tal ordem, que, de forma involuntária ou não, acabam por fazer muito mais merda do que coisa boa.

O Alegre foi sem dúvida o candidato que mais me agradou (daí merecer o parágrafo de intervalo). Talvez pelo seu carácter mais poético, mais sonhador, mais utópico, este foi sem dúvida o rapaz que mais me inspirou simpatia. Lamentei, embora ele tenha toda a razão nos planos jurídico e procedimental, a sua posição de querer legislar sobre a I.V.G. na assembleia, desrespeitando o resultado do referendo...por uma questão ética que, embora argumentada por Sócrates, me parece tão mais falsa quando sai da boca deste. Simpatizei bastante com a assumpção da possibilidade de coligações à esquerda nas legislativas. Ao contrário da opinião manipuladora e, claramente, de encontro ao que os membros do PS gostam de assumir como uma liderança firme e corajosa (açúcar, só açúcar...ele esquece-se é que o açúcar sabe bem mas engorda) de Sócrates, sou da opinião que a abertura da possibilidade coligativa em nada deverá ser tomado como sinal de fraca liderança ou de possível influência nas intenções de voto: primeiro porque assumir que não somos os únicos a ter boas ideias e admitir a possibilidade de procurar ajuda na eventualidade de não sermos auto-suficientes nunca foi defeito de ninguém e segundo porque me parece que nem o Sr. Zé (Sócrates) acreditará verdadeiramente que ninguém com cabeça se coloca em dúvida entre PS e Bloco: embora os financiamentos e relações obscuras, na claridade do dia são coisas muito diferentes. Quem é PS é PS...Quem é Bloco é Bloco! E se assim não é, passa-se alguma coisa nas convicções deste povo(eu sei...é cómico. Com esta maioria governativa que temos e a habitual amnésia colectiva em época eleitoral estou eu aqui a tentar vender a integridade do povo! Pelo menos escapo às acusações de preconceituoso).
O Manuel Alegre era o sujeito mais descontraído, mais à vontade num debate que poderia, de alguma forma, influenciar a opinião que alguns (poucos) dos votantes teriam dos candidatos. No entanto... Alegre era o espelho da esquerda de hoje: idealista, literário, diria mesmo Don Quixotiano. Enfim bonito de se ouvir mas desajustado à realidade; sem projectos concretos ou propostas ou staff já delineados. Alegre, bem como a esquerda, esquece-se de uma coisa muito importante: é que, nas suas formas de discurso, falam como se, sobre a sua égide, se fosse começar do zero; se fosse construir de raíz uma sociedade. No entanto esta já existe e está atulhada da merda que os sucessivos governos e as suas políticas cá deixaram e que fariam com que, antes de um verdadeiro governo de uma verdadeira esquerda começar a trabalhar as suas políticas e a implantar o seu modo de estar em sociedade e na política, tivesse de passar uns valentes anitos a limpar a casa e a preparar o terreno para o novo modelo.
Caso contrário cairía no erro dos regimes comunistas deste mundo: o facilitismo (entre aspas) da revolução, que faz cair uma merda de regime para implantar um regime de merda.

Com o passar dos anos vou simpatizando cada vez mais com a esquerda (antes declarava-me agnóstico político), no entanto tenho os pés no chão: aprecio o sonho que a esquerda me traz, mas, a menos que se re-invente esta esquerda, tenho pela consciência de que, embora bonito e de lutar por, não passa de um sonho!
Help...I need somebody!

Tomei hoje conhecimento de que os indivíduos solteiros entre os 20 e os 30 anos apresentam uma probabilidades 50 vezes maior de caírem num diagnóstico psiquiátrico de Esquizofrenia Indiferenciada (vulgo: Esquizofrenia) do que os sujeitos na mesma faixa etária que se encontrem casados.
Sinceramente parece-me propaganda católica com uma esfarrapada máscara científica, em prol dos valores da família, pilar base de qualquer sociedade.

Mas, pelo sim ou pelo não, não vá o diabo tecê-las, estou a aceitar candidaturas!

Podem enviar curricula com fotografia anexada para o endereço ofanicanaoquerseresquizo@felizesparasempre.com.me
É a puta da loucura

Mulheres têm quatro pontos G, diz Desmond Morris

"Não me apanhas! Não me apanhas!"

Segundo mais um estudo bombástico em 2156 as mulheres correrão mais rápido que os homens.

Fosga-se, ainda bem que já não faço intenções de estar por cá nessa altura... se já é difícil apanhá-las agora...

quarta-feira, 29 de setembro de 2004

Bolinha baixa
Ainda a Superliga vai no adro e já os dirigentes portugueses se emporcalham alegremente na comunicação social.
Dias da Cunha...bem, o que dizer de Dias da Cunha? Só remeter para um comentário a um post mais abaixo, onde se dizia que o problema dele não era tanto do sistema operativo como do bloco operatório.
Um gajo que vai à bola vestido como se fosse para a caça......tem de ser do Sporting.
Pinto da Costa, qual Abramovich, comprou todos os bons jogadores dos dois lados do Atlântico e continua sem ver o esmagador domínio que esperava.
Na televisão, goza com as calinadas gramaticais de José Veiga, enquanto manda beijinhos envenenados a José Mourinho, por quem tem uma quase assumida paixão homossexual.
No Glorioso, Luis Filipe Vieira anda calado, e ainda bem, porque só diz merda. Infelizmente, foi substituído nesse capítulo por José Veiga, agora promovido a João Malheiro.
Veiga, com mais perfil para se tornar no novo Artur Jorge, ou seja, o coveiro do Benfica, apelida Pinto da Costa de Batanete, mostrando a coerência da sua personalidade com os programas de televisão que consome.
Pior que isto, só o nível do futebol que as equipas têm demonstrado dentro de campo.
Lotação esgotada
Lendo o Diário Económico de hoje, um título chama-me a atenção: "Cardona na Caixa incomoda PSD".
Pisco os olhos, belisco-me, e ainda não acredito. Será possível que os laranjas tenham ganho, de repente, uma consciência????
Depois abro o jornal, em busca frenética desta notícia, até que a explicação me aparece, em todo o seu esplendor, na página 35: "O PSD teme a perda de poder [obviamente de influência política e económica] em favor do PP".
Pois, os tachos começam a ser poucos para tantos amigos.
Na política portuguesa, a tradição ainda é o que era.
A curiosidade matou o gato das botas
A maioria parlamentar de direita rejeitou hoje um pedido da Oposição para que Bagão Félix fosse à Assembleia da República explicar as últimas movimentações na Caixa Geral de Depósitos, como os casos Cardona e Mira Amaral e a eventual passagem do fundo de pensões da CGD para tapar, de forma puramente contabilística, o buraco do défice.
Perante a escandaleira total em que o banco público está transformado, a maioria de direita não acha relevante que o principal responsável político pela Caixa preste esclarecimentos aos deputados, que infelizmente nos representam a todos.
Tinha planeado introduzir aqui umas questões relevantes, carregadas de indignação de raiva, como por exemplo "têm medo de quem?!", ou "quem estão eles a proteger?!", ou ainda "que raio terão eles a esconder?!".
O que é grave é que todos nós sabemos as respostas.
Já não estamos sequer na fase das perguntas indignadas.
Agora só à bomba!
As maravilhas da publicidade
Não sei se já repararam na nova campanha da Caixa Geral de Depósitos, assim com malta nova como a vocalista dos The Gift, muito engraçado. Pois é, os senhores do banco público perceberam que a CGD tem um problema de imagem, é pouco mexida, apelativa.
Coincidência ou talvez não, arrancou também a campanha do novo jogo da Santa Casa da Misericórdia, o Euro Milhões, que promete dar todas as semanas uma batelada de guita.
Ao que o Vodka Atónito apurou, está em estudo uma fusão das duas campanhas, revertendo a favor da CGD.
Em vez de Sónia Tavares, os protagonistas serão Celeste Cardona e Mira Amaral, aproveitando parte do slogan do Euro Milhões: "Caixa Geral de Depósitos: A criar excêntricos todas as semanas".
Análise às primeiras jornadas da Liga futeboleira ou Rói-te de inveja Gabriel Alves!
Falarei apenas dos três grandes, que o resto, como é habitual, vai andar para ali a pastar.
O Sporting não joga nada, é um equívoco táctico pegado e tem um plantel banal. Os jornais e os responsáveis do clube começaram a época a empolar a qualidade dos jogadores, quando o seu verdadeiro nível está a par, ou até ligeiramente abaixo, do plantel do Benfica. Adorei quando o simpático Peseiro disse, na pré-época, que tinha um programa de computador que dizia que o Sporting tinha a melhor equipa. Devia ser da Compta......
O Glorioso está uma bela merda. Trapatoni não serve para o clube, o mesmo se aplica aos dirigentes todos, e depois há três ou quatro jogadores de bom nível, mas que não chegam para grande coisa. No último jogo, nada mudou em relação aos anteriores, excepto o resultado: não jogámos nada à mesma, só que desta vez o golito não caiu do céu. Acontece.
O tripeiro FCP tem sido a minha grande alegria neste início de época. Joga melhor que os rivais de Lisboa, mas tem um plantel infinitamente melhor. Parece-me óbvio, desde o início da época, que só uma incrível dose de azar e/ou de incompetência pode impedir o Porto de ganhar tudo em Portugal. Lá fora, a história é outra, e o FCP vai sofrer do efeito Grécia, ou seja, tem de se assumir como campeão e vai levar na anilha.
Como benfiquista, tiro algum gozo das palhaçadas do Sporting, mas o que me dá verdadeiro prazer são os empates do Porto. Com aquela equipa milionária (ainda alguém se lembra da equipa maravilha do medíocre SL Bieira?), qualquer pontinho largado aqui e ali toma dimensões de escândalo.
Vamos aos prognósticos:
plano interno: FCP campeão e vencedor da Taça; SLB segundo no campeonato e eliminado da Taça por qualquer equipa ridícula; Sporting terceiro no campeonato e a mesma figura que o SLB na Taça
plano europeu: o Sporting cai nos grupos da Uefa, o Benfica também, o Porto não passa a actual fase da Liga dos Campeões.
Ah, e em Fevereiro o brilhante Álvaro Magalhães será o novo treinador do Glorioso.
Haja esperança! Pró ano é que é!

terça-feira, 28 de setembro de 2004

Entre Kill Bill e a Praça da Alegria

“Após algumas entradas mais ríspidas, tanto sobre Paulo Almeida como sobre Everson, o defesa-central (Argel) foi alvo de duas cargas duríssimas de Everson sem que o objectivo fosse, evidentemente, jogar futebol. Argel, que tinha a bola dominada, foi alvo de uma entrada violenta de Everson, que correu a toda a velocidade em direcção ao seu colega de equipa. Ambos caíram no relvado, trocaram alguns empurrões e, quando Everson se levantou, atingiu o companheiro com o pé no pescoço - as marcas desse lance eram, aliás, bem visíveis no final do treino. O defesa-central levantou-se de repente do relvado, pegou no esférico e pontapeou-o com força em direcção a Everson”

Segundo José Veiga o que se passou "pode acontecer em qualquer treino. É um bom sinal. Sinal de que se treina de forma agressiva, no bom sentido”.

Quid juris?

segunda-feira, 27 de setembro de 2004

A farsa
A vitória de Sócrates lembrou-me aquele sketch (ou rábula, como diria o Vítor Espadinha) dos Monty Pythons, em que os filósofos, o grande Sócrates incluído, disputavam uma bela partida de futebol, hilariante mas sem sentido nenhum.
O PS teve, nas mãos, uma questão simples mas muito importante: a fidelidade aos ideiais da esquerda (que de resto já andam há muitos anos escondidos na gaveta) ou o abraço definitivo ao Big Show Sic mediático, centrista e, perdoem-me a expressão, enconado.
A escolha foi feita.
Aqui, como nos outros partidos do eixo do poder, quem vota não o faz por boas intenções ou pelos bonitos olhos dos candidatos. Vota naquele que mais facilmente chegará ao poder e, como tal, melhores condições terá de lhes arranjar, a ele e aos filhos e amigos, um lugarzinho conveniente e bem pago.
O PS fez a sua escolha. Caberá aos portugueses responder nas urnas, provavelmente com a sua habitual cegueira intelectual.
É fácil, é barato e dá milhões
Mira Amaral, o milionário reformado da Caixa Geral de Depósitos, não tem feitio para ir simplesmente para o jardim jogar dominó com os outros velhos. Assim, e depois de empochar a módica reforma de três mil e tal contos por mês, o senhor afinal vai continuar ao serviço.
Soube-se hoje, pela SIC, que Mira Amaral será o representante da CGD no conselho de administração da EDP, de que o banco estatal é accionista.
Confusos?
Pois......
Eleições no PS: A vez dos Revolucionários Modernos!

Sobre João Soares – Bastaria o dobro dos votos para chegar aos 7,8%. Parabéns, Jótinha do pai!

Sobre Manuel Alegre – “A minha candidatura é já um movimento”. Sexy e breve. Parabéns, Poeta!

Sobre José Sócrates – Vai ser o nosso primeiro-ministro. Parabéns, Tony Blair!

Sobre os militantes PS – Muito obrigados por mais um glorioso serviço prestado à esquerda portuguesa. Parabéns, camaradas!

Sobre o PSD/PP – A social-democracia portuguesa está de parabéns. Para além do sonho: Um Governo, uma Maioria, um Presidente e, agora, um líder da oposição.

Trabalho eu noite e dia, e vêm estes tipos foder os índices de produtividade

Indíviduo A - (...) cona da tia dele!
Indíviduo B - Quê?
Indíviduo A - Puta que o pariu, caralho c'u fôda!...
Indíviduo B - Então?
Indíviduo A - Foda-se, hoje já não trabalho mais. Quero que ele vá pó caralho! Já estou farto de trabalhar hoje!

Acrescente-se ao facto de o relato ser verídico, que o relógio somava apenas as 9 horas da manhã.

sexta-feira, 24 de setembro de 2004

Bimboway
"Cats", o musical da Broadway da autoria de Andrew Lloyd Webber, vai ter mais quatro datas de espectáculo em Portugal.
O Príncipe Real está ao rubro.
Indienápolis
Começa hoje o IndieLisboa, o festival de cinema independente da nossa muy bela capital. O filme de abertura é o "Antes do Anoitecer", com a Julie Delpy e o Ethan Hawke.
Ainda nesta senda independente, seguir-se-ão o Senhor dos Anéis, o ET e o Titanic, terminando tudo com um muito alternativo concerto de Phil Collins.
Me clica vai!

Apesar do título da posta, esta é por uma boa causa.

http://www.jazzcidadania.org/colo

Vá pelo menos uma vez na vida vão lá clicar num link que não dá para badalhoquices!

Pampita

http://www.pampita-ardohain.com.ar/

Sempre achei que a Argentina tinha algo de especial e não era pelos pés mágicos do Maradona!

Tão inocente!

A actriz norte-americana Cameron Diaz revelou recentemente que o segredo do seu êxito em Hollywood depende da particularidade do seu nariz.

Sim, o resto é uma merda! Blaaaaarrrrghhhhhhhhhhh! Ganda nojo!!

Põem-te a pau!

"Barómetro: PSD e CDS-PP em queda não evitam reforço da maioria PS"

"Cavaco em queda na luta pela presidenciais, diz barómetro"

Eu não confio neste Barómetro. Cá para mim é mais um daqueles "wanna be" que mandam uns bitaites sobre política e, concerteza, que está a afiambrar-se ao lugar de comentador do Professor Marcelo.



Não é para ter piada

A senhora de Portimão parece que matou a filha à pancada porque a miúda tinha recebido 12 € da avó e não disse nada.

Se uma mãe é capaz de matar uma filha por 12 € será que se o pessoal fizesse uma vaquinha e juntasse para aí uns 100 dinheuros ela despachava o Portas?

Jingle Bells

Lisboa vai ter a maior árvore de Natal da Europa.

Nada mais correcto, para um país que recebeu do Presidente a bela prenda que é este governo!

quinta-feira, 23 de setembro de 2004

Dona Banca
Na sequência do post anterior, é importante falar das relações perigosas entre a banca e o sector político.
Um ministro, enquanto desempenha esse cargo, tem acesso a "segredos" do Estado, conhece como as coisas funcionam, quem manda, os planos de política económica para os próximos anos, etc.
Ou seja, teoricamente ao serviço do Estado, isto é, de todos nós, ganha acesso a informações delicadas, que muito podem servir a empresas do sector privado, dispostas a pagar muito dinheiro para daí tirar benefícios que, embora ainda legais, são claramente ilegítimos.
As relações Banca/Governo sempre foram próximas, mas com este Executivo atingiram o pico.
Carlos Tavares, ex-ministro da Economia, saiu da direcção do Santander para o Governo. Com a remodelação saiu, mas estará para breve o seu regresso à banca.
Miguel Frasquilho, secretário de Estado nas Finanças, saiu na remodelação e voltou, directamente e sem passar na casa da partida, ao Banco Espírito Santo.
O nosso amigo Bagão Félix, que agora finge querer obrigar os bancos a pagar impostos, foi quadro superior do Banco Comercial Português até entrar no Governo.
O actual director-geral dos impostos é do BCP, estando apenas requisitado e, como tal, regressará assim que sair do cargo.
Os exemplos são inúmeros, e aumentam claramente quando olhamos para além das personagens mais conhecidas, entre assessores, disto e daquilo, nos mil e um gabinetes do Estado-Tacho.
Em alguns países civilizados, é imposto um período de nojo, para quem sai de funções governativas e pretende regressar à actividade empresarial privada.
Em Portugal, há apenas um nojo.
CGD- Cardona Gosta de Dinheiro
E quem não gosta, não é verdade?
Com a nomeação de Celeste Cardona para a Caixa Geral de Depósitos, temos mais um exemplo da verdadeira agência de empregos, perdão, de tachos, em que o Estado se transformou.
Hoje em dia, o que interessa é ser político, sobretudo pertencendo ao eixo do poder (PSD/CDS/PS), e as portas do el-dorado empresarial, estatal e não só, abrem-se de par em par.
Nobre Guedes, ministro do Ambiente (sim, eu também ainda não acredito), desempenhava cargos em 28 (!) empresas quando foi nomeado para o Governo. Como é possível?
Será que é apenas pelos seus talentos nas respectivas áreas profissionais de origem? Ou será mais porque as empresas têm a expectativa de que a presença de políticos nos seus quadros lhes garantam benesses, fiscais e outras?
Acho que a resposta é evidente.
O tecido empresarial, e assim a economia, do nosso país, está nas mãos de meia dúzia de malfeitores, deputados, autarcas, políticos em geral, sempre com o tacho garantido e pronto a servir.
Muito se fala da promiscuidade entre a política e o futebol. Mas a verdadeira promiscuidade não está aí, está nas relações entre a política e as empresas. É assim que vemos casos como o das listas dos professores e a Compta, por exemplo.
A CGD é apenas a face mais visível da Tacholândia, porque há uma panóplia gigantesca de empresas e serviços estatais sempre prontos a acolher mais uns boys & girls.
Não é uma questão de esquerda ou direita, deste ou daquele partido.
PCP e BE escapam, talvez não por serem mais sérios, embora eu ache que sejam, mas pelo simples facto de que nunca chegarão ao poder, logo não poderão retribuir eventuais colocações.
A política portuguesa está (é?) uma vergonha, e os culpados estão à vista.
Que continue o povinho a votar sempre nos mesmos, e depois se indigne com estas situações.
E que depois venha o Sampaio e os líderes partidários queixar-se do afastamento dos portugueses em relação à política.
Eu estou afastado, porque não me poluo com certas companhias.
Voto, sei em quem voto, manifesto-me quando entendo que é importante.
Mas o desencanto está instalado.
A política portuguesa enoja-me.
O Mister é que sabe

Argel andou ao soco por umas fraldas.

Ora aqui está uma medida do Trapalhoni que eu aplaudo, finalmente descobriu que o gajo só faz merda em campo!

Mama aqui a ver se eu deixo

Seio de Janet Jackson custa 446 mil euros à CBS.

É muito euro para uma mama que nem sequer era nada de jeito!

Mas acho bem, é pena que cá em Portugal não tenham multado a SIC quando meteram o Otelo a chafurdar nas mamas da Julie Sargeant.

"Daqui Óscar, escuto..."


O maravilhoso mundo da sabedoria popular

Nunca a expressão: "Não se compta com o ovo no cú da galinha", fez tanto sentido.

The Truman Show

Santana Lopes discursou na 59ª Assembleia-Geral das Nações Unidas, em Nova Iorque.

quarta-feira, 22 de setembro de 2004

Parabéns
A José Eduardo dos Santos, que hoje completa um quarto de século à frente dos destinos, da corrupção e da miséria do povo angolano.
Business as usual
"Os Estados Unidos planeiam vender a Israel cinco mil bombas no valor de 319 milhões de dólares, incluindo 500 bombas anti-bunker de uma tonelada, capazes de penetrar paredes de cimento de dois metros de espessura", segundo a Reuters.
A Palestina já respondeu a mais esta ofensiva e prepara-se para encomendar um carregamento de boa calçada portuguesa, objecto de arremesso capaz de provocar mossas de três centímetros de diâmetro em qualquer tanque.
Aviso à População

Vladimir Putin visita Portugal a 23 de Novembro.
Não arrisque nesse dia. Fique em casa em silêncio. De persianas fechadas.

Hoje o Ingerente Conspirador, Amanhã o PIDE Assassino

O primeiro-ministro, Pedro Santana Lopes, condecorará hoje em Nova Iorque o antigo embaixador norte-americano ( ex-vice-director da CIA e ex-secretário da Defesa norte-americano) Frank Carlucci com a grã-cruz da Ordem do Infante D. Henrique.

Quantos mais anos terão de passar para que seja reconhecida a excelência dos serviços prestados à Democracia por Rosa Casaco?

Rumo ao Socialismo

José Socrates promete opor-se «por todos os meios políticos» à intenção do Governo PSD-CDS/PP de retirar os benefícios fiscais aos diversos planos de poupança que custam ao Estado 600 milhões de euros.

Esta esquerda é mesmo moderna, fosga-se!

terça-feira, 21 de setembro de 2004

E dura.........e dura...........e dura...........
...a palhaçada na Educação.
Tudo não passará de um problema técnico, dizem. A empresa responsável, a Compta, nada diz, e talvez se perceba.
Curiosamente, ou talvez não, o trabalho foi atribuído a essa empresa, que como características que a distinguem das outras tem o facto de contar com dois administradores muito especiais: Couto dos Santos, antigo ministro da Educação nos tempos de Cavaco Silva, e Rui Machete, fundador do PSD.
Será do Guaraná?
Ó Abreu, dá cá o meu!
Na sequência do novo aumento dos transportes públicos, uma dúvida se levanta: então o motivo é a subida dos preços do petróleo, mas os aumentos são iguais para autocarros, comboios e até eléctricos?!
Dá-me a sensação que a estupidez deste Governo está indexada aos preços do crude......
Soft Where?

Maria da Costa Seabra afirmou ontem que o problema das colocações dos professores se deve a um problema com o novo software.
É no que dá trabalhar com uma Ministra da Educação em Versão Beta.
Como se não bastassem os ares condicionados e as Megas éFieMs...

... Ainda tenho que comer diálogos deste calibre, no meu local de trabalho:

- Hoje é o dia da Paz, não é?
- Não sei. Hoje é o dia mundial do acabamento do Verão (risos).
- Ai é?
- É. Acaba hoje o Verão.
- Então... Começa hoje o Outono.
- Sim.
- É o equinócio de Inverno.
- Não é o solstício?
- Não. O solstício é pó Verão.

Remove me from this movie.

segunda-feira, 20 de setembro de 2004

O escândalo do dia é....
...o pseudo-primeiro dia de aulas.
Não é que a educação das criancinhas esteja em risco, mas a trapalhada em que se tornou a colocação dos professores é apenas mais um sinal da forma como o poder político lida com a Educação.
Os professores, que têm uma função das mais indispensáveis em qualquer sociedade, já passam habitualmente as passas do Algarve para conseguirem trabalhar (!).
Nunca sabem se vão ter trabalho ou onde, se ficam se vão, se têm futuro na digna profissão que escolheram.
Só isto já é uma vergonha.
Mas o copo agora transbordou, porque a crise e o desnorte do sistema educativo se estendeu às criancinhas, aos pais, aos professores, ou seja, a todos e a toda a sociedade.
Pode ser um erro técnico, e não vou culpar a ministra da Educação por uma falha informática.
Mas ela tem, ou deveria ter, responsabilidade política. Como tal, a sua demissão não me chocaria mas devemos exigir, no mínimo, que se fale verdade e que não nos chamem de idiotas.
O que é inadmissível é a pose de beta arrogante daquela ministra, que perante o desespero dos pais vem à televisão defender que tudo está bem e que o sistema é fantástico.
O Governo prepara-se para demitir dois ou três responsáveis técnicos, medida que, após as conclusões do inquérito, talvez se justifique.
Mas, a nível de quem manda, tudo ficará na mesma. É assobiar para o ar e repetir uma mentira, que por mais vezes que seja repetida não passará a ser verdade.
Bandeirada
Um lusitano mais assanhado queimou uma bandeira portuguesa em público. O senhor foi um bocadinho estúpido porque o fez não só à frente das câmaras de televisão como à frente da polícia, que estava no local para pôr na ordem um perigoso grupo de terroristas anti-tourada.
Soube-se hoje que o lusitano pouco patriota vai ser sujeito a um julgamento sumário, honra que muitos crimes a sério não merecem.
Ora aqui está o que me faz confusão:
A bandeira é um bocado de pano, que faz sonhar saudosistas do império e humedece o rego do Paulo Portas. A pátria é uma ficção, ainda por cima má, tipo novela da TVI.
Eu nunca queimaria uma bandeira portuguesa, não só porque isso seria atribuir-lhe uma importância que um bocado de pano não deve ter mas, também, porque nunca se deve desperdiçar uma superfície lustrosa e agradável, para o caso de sermos surpreendidos com uma súbita falta de papel higiénico. (O "não faz mal, limpa-se ao jornal" sempre foi meramente retórico, ou devia ser, porque mancha o cu).
Um bom exemplo
A empresa portuguesa Fisipe, fabricante de fibras sintéticas, fechou a sua fábrica em Barcelona, alegando que não a podia suportar. Como consequência, 270 pessoas perderam o emprego e, naturalmente, recorreram ao tribunal.
Este condenou agora a empresa portuguesa a pagar aos trabalhadores uma indemnização de 30 milhões de euros, o equivalente a um despedimento sem justa causa.
Não quero entrar na questão da rivalidade ibérica, embora tal seja verdade no mundo empresarial.
Quero apenas realçar este bom exemplo, do castigo aplicado a uma empresa que pensa poder ir para outro país papar subsídios e depois partir quando bem entende, espalhando o desemprego e a miséria.
Talvez fosse bom Portugal olhar para este caso, depois de tantos JC Clarks e Bombardiers que tivemos e continuamos a ter por cá.
Só mais uma questão: depois do vergonhoso comportamento da Bombardier, por que raio são eles favoritos no concurso para novo material da CP?
Surpresa!
Depois da extraordinária comemoração do Dia sem Carros, o Governo preparou uma fantástica surpresa para assinalar a Semana Europeia da Mobilidade, que pretende incentivar a utilização dos transportes públicos.
O Executivo anunciou hoje que os preços dos transportes vão aumentar 2,9 por cento em Outubro, sendo de novo revistos no início de 2005.
Bem jogado!
A culpa é da Cisterna

Dias da Cunha, que desde há muito se vem a queixar que os desaires do seu clube se devem em grande parte ao sistema, vai finalmente instalar um novo sistema operativo.
Aparentemente tudo começou quando Pinto da Costa lhe emprestou um cd com o Windows XP, que uma vez instalado começou a dar vários problemas, de entre os quais se destacava o mítico 'Blue screen of death'. O panorama pareceu sossegar até que, este Domingo, Dias da Cunha voltou novamente a queixar-se do sistema.

Ao que o Vodka-Atónito conseguiu apurar, o presidente do Sporting havia trocado o Windows por um Linux emprestado porLuís Filipe Vieira. Tudo voltou a correr mal quando Dias da Cunha percebeu que o software cedido pelo presidente do Benfica era o Linux Red Hat.
Pequena nota biográfica

No seguimento do último post do mais violento prato de cozinha italiana de que há memória, venho apresentar perante vós uma curiosidade "fofinha" no já trintão percurso do dito Antunes:

Ora...reza a lenda que o acima referido prestou no passado sábado, perante a Divina Autoridade da Igreja Católica Apostólica Romana da Lázio (Rui Reininho, poeta drunfado, futurista e tudo!), juramento de amor eterno pela sua noiva Teresinha.
Até aqui tudo bem.

Mas esta situação ganha novos contornos aos recordarmos uma bonita noite do verão de 2001 em que uma bela jogatana de sueca numa esplanada em Palmela foi interrompida por uma procissão da dita Igreja e em que, ofendido certamente pela violação impiedosa do sagrado ritual do "cortar vazas" (ou vasas ou lá como é que se escreve!), o excelso cidadão rodou sobre si mesmo enfrentando a multidão, e vociferou: "Vão-sa foder católicos do caralho!" E, após termos tentado refrear o seu ânimo ainda soltou um " Foda-se esta gente é mesmo estúpida!- e virando-se para a multidão, gritou- Deus não existe!!!".

O que vale é que Deus é Eternamente Misericordioso, caso contrário este jovem iria ser uma das melhores e maiores sandes de coirato que o Diabo teria alguma vez provado!
Rescaldo do Casamento do Antunes

Normalmente, nos 'copos d'água', é servido um prato de Bacalhau Espiritual. O nome encaixa que nem uma luva, porque bacalhau, nem vê-lo.

Manel, ao 5º copo de tinto.

sexta-feira, 17 de setembro de 2004

Parabéns...
...ao engenheiro Mira Amaral, que acaba de se reformar com uma pensão de 18.156 euros mensais. Deste valor, parte refere-se à pensão por ter sido deputado, mas mais de metade é relativo ao cargo que desempenhava quando pediu a reforma, a presidência da Caixa Geral de Depósitos.
Resta referir que este cargo foi desempenhado apenas por dois anos, mas o suficiente para conseguir rechear o pé de meia para os anos vindouros.
O Choque Fiscal será televionado

Fruto do tremendo sucesso que a intervenção televisiva do Ministro das Finanças fez à sociedade portuguesa na passada Segunda Feira, José Eduardo Moniz veio a público dizer que a TVI já tem tudo preparado para lançar um talk-show inteiramente da responsabilidade de Bagão Félix.

O programa, ao que tudo indica, poder-se-à chamar 'Eu Show Félix'. Dedicado exclusivamente à família e à gestão domiciliar, terá uma uma rubrica de culinária, chamada 'Bagão a Bagão enche a Família o Prato'. Nesse espaço o Ministro das Finanças ensinará como se fazem deliciosos pratos com os restos dos jantares dos vizinhos do lado.
O programa irá para o ar aos Domingos, antes do Telejornal, pelo que o Professor Marcelo Rebelo de Sousa irá incluir uma análise crítica semanal aos pratos confeccionados por Bagão Félix.

Fervoroso adepto do Benfica, o ministro irá premiar figuras reconhecidas em assuntos da família com um azulejo com a inscrição "Quem não é benfiquista não é bom chefe de família".
Já cheira mal!

Este post é um alerta para o Oceano (ex-capitão do Sporting e, ontem, comentador do jogo do dito clube contra o Rapid Viena) e para todos os paralisados no tempo!

Quando é que esta gente se vai aperceber que coisas como as repetições esclarecedoras nos jogos de futebol, os computadores e até mesmo a própria internet já são coisas que têm alguns anitos valentes?!

Até quando vou (ou vamos, para os solidários da causa) ter de aturar gente que nasceu em 1657, daí terem uma noção diferente da temporalidade das coisas, a chamar "Novas Tecnologias" a coisas que eu conheço desde que nasci (1981)?

Oh meus amigos actualizem-se! Já não há paciência!
E esta, heim?

Antes de mais (relembrando Papousse) queria aproveitar o títalo desta posta para relembrar Fernando Pessa (e por associação livre, Fernando Pessoa e Camilo Peçanha) que fará para sempre parte do meu imaginário infantil por estar intimamente associado aos telejornais a que assistia, quando era mais garoto, com o meu falacido avô!

Queria confessar-me a V. Exas.. Actualmente não assisto a telejornais! Venha daí o espanto e o repúdio. Acredito na manipulação da informação e, além de mais, para notícias tristes (95% do tempo de antena dos telejornais, pelo menos no tempo em que ainda perdia tempo com eles) já me bastam as minhas próprias e pequenas preocupações. Para aliviar o peso da minha ignorância dos tempos modernos, dou de quando em vez uma olhadela no Público (estou a ser pago para mencionar o nome desta marca registada).
Gosto mais de pessoas e relações, daí o meu interesse pelas coisas políticas e económicas se situar apensas na medida em que estas intereferem nas relações interpessoais.
Perante este meu desinteresse pelo carrocel dos assuntos "importantes" deste mundo, não será difícil deduzir que os meus conhecimentos de economia são muito gerais e vagos. Por outras palavras, representarei o aluno numa conversa com alguém que conheça aprofundadamente conceitos como "spread", "lising", "taxa indexada à Euribor"(calculo que sejam pneus Mabor vendidos por essa europa fora) e, ainda mais menino, perante uma alma que compreenda claramente os meadros do funcionamento da bolsa de valores nacional ou, mais espantoso ainda, o mercado internacional de valores.
Assim, o mail que recebi de um amigo meu (o Minuim), em past-forward está claro, deixou-me sobejamente abananado.Só agora me bateu que, apesar do meu vencimento base ser de 617 euros e de acrescer a isto subsídio de almoço e subsídio de risco (segundo parece o meu trabalho é perigoso porque eu lido com dinheiro! Ele há cada uma!!!) o que, digo eu, fará situar a minha remuneração global algures entre entre os 717 e os 767 euros, eu só receber efectivamente cerca de 580 herois por mês!
Tudo no mundo pode ser prevertido e invertido...até o Robin dos Bosques (versão portuguesa)! Não que a minha ignorância do mundo chegasse ao ponto de desconhecer a perversão da política e da economia, mas, como uma chapada na letargia dos meu dias, este mail (que passarei a expor) veio colocar mesmo em frente dos meus olhos aquilo que eu escolhi não ver.

"
Em cada 100 euros que o patrão paga pela minha força de trabalho, o Estado,e muito bem, tira-me 20 euros para o IRS e 11 euros para a Segurança Social. O meu patrão, por cada 100 euros que paga pela minha força de trabalho,é obrigado a dar ao Estado, e muito bem, mais 23,75 euros para a SegurançaSocial. E por cada 100 euros de riqueza que eu produzo, o Estado, e muito bem, retira ao meu patrão outros 33 euros.
Cada vez que eu, no supermercado, gasto os 100 euros que o meu Patrão pagou, o Estado, e muito bem, fica com 19 euros para si.
Em resumo:
- Quando ganho 100 euros, o Estado fica quase com 55.
- Quando gasto 100 euros, o Estado, no mínimo, cobra 19.- Quando lucro 100 euros, o Estado enriquece 33.
- Quando compro um carro, uma casa, herdo um quadro, registo os meus negócios ou peço uma certidão, o Estado, e muito bem, fica com quase metadedas verbas envolvidas no caso.
Eu pago e acho muito bem, portanto exijo: um sistema de ensino que garanta cultura, civismo e futuro, emprego para o meu filho. Serviços de saúde exemplares. Um hospital bem equipado a menos de 20 km da minha casa. Estradas largas, sem buracos e bem sinalizadas em todo o País. Auto-estradas sem portagens. Pontes que não caiam. Tribunais com capacidadepara decidir processos em menos de um ano. Uma máquina fiscal que cobre igualitariamente os impostos.
Eu pago, e por isso quero ter, quando lá chegar, a reforma garantida e jardins públicos e espaços verdes bem tratados e seguros. Polícia eficiente e equipada.Os monumentos do meu País bem conservados e abertos ao público, uma orquestra sinfónica. Filmes criados em Portugal. E, no mínimo, que não haja um único caso de fome e miséria nesta terra.
Na pior das hipóteses, cada 300 euros em circulação em Portugal garantem aoEstado 100 euros de receita. Portanto Sr. Primeiro Ministro, governe-se com o dinheirinho que lhe dou porque eu quero e tenho direito a tudo isto.

Um português contribuinte."

Realmente um gajo paga muito e recebe muito pouco em troca...'da-se!

quinta-feira, 16 de setembro de 2004

Romantismo oriental
O magnata macaense Stanley Ho é um romântico. Baptizou hoje os seus dois novos barcos, chamados "Ângela" e "Sabrina", em homenagem à sua quarta esposa e à filha desta.
Love is in the air....
Piada de caserna
Num congresso médico, depois das conferências do dia, os colegas encontram-se no bar do hotel. Alguns contam suas últimas conquistas.
O Australiano começa: - Tivemos um fulano que foi atropelado por uma jamanta e a única coisa intacta que tínhamos era seu dedo mindinho. A nossa equipa conseguiu, pelo DNA, refazer a mão, um novo braço, um novo corpo! O paciente ficou tão bom, que, de volta ao trabalho, tirou o emprego a cinco pessoas!
O Americano diz: - Isso não é nada! Nós tivemos o caso de um operário que caiu no reactor atómico de uma central nuclear! A única coisa que sobrou foi um tufo de cabelo. Pelo DNA conseguimos reconstituir seu corpo todo, completinho. Depois de ter alta, esse sujeito mostrou-se tão eficiente que cinquenta pessoas perderam o emprego!
O Português pede a palavra: - Olha, o caso que vou contar é muito mais interessante.
Um dia estava andando pelo corredor do hospital e senti o cheiro de um peido. Imediatamente, capturei-o num saco de plástico, que levei para o laboratório. Chamei minha equipa e começamos a trabalhar. Primeiro, a partir do peido, fizemos um ânus, em seguida reconstituímos o intestino, e depois, pouco a pouco, todo o corpo. O projecto desta criatura levou o nome de Bagão Felix e teve um desempenho tão fantástico que, quando começou a trabalhar,meio milhão de pessoas perderam o emprego!
Expectativa
Daqui a uma hora, o Glorioso dá início a mais uma brilhante prestação nas provas europeias de futebol.
Espero ganhar, no mínimo, por três secos.
Se se repetir a palhaçada do Anderlecht, é hoje que eu vou ao aeroporto dar uma cabeçada no velho.
Mãos Largas

A Câmara Municipal de Lisboa vai assinalar o Dia Europeu Sem Carros, no próximo dia 22, com o fecho da Rua Rosa Araújo, depois de no ano passado ter sido a Rua do Século a ser vedada ao trânsito.

Apostando no sucesso destas 'comemorações simbólicas', a edilidade já assegurou que vai assinalar o Dia Mundial do Ambiente pela plantação de 1 pé de ervas azedas e um outro de baldroegas num canteiro por trás do Centro Comercial da Mouraria.
De igual modo, no Dia de Portugal, dois reformados ex-músicos da Sociedade Filarmónica União e Capricho Olivalense assobiarão os quatro primeiros acordes do hino Nacional.

Mais preenchido será o Dia mundial dos Sem Abrigo, onde 2 caixas de papelão doadas pela Casa de Electrodomésticos Alfacinha serão sorteadas pelos dois primeiros mendigos que se lembrem qual foi a última vez que tomaram banho. Cães farejadores da Protecção Civil assegurarão a veracidade das respostas.
Always Look To The Bright Side Of Life

Fialho Gouveia recupera de forma «lenta e progressiva».

Pelo menos enquanto está acamado, está melhor do seu coxear.
Seu!...Seu!...Seu!...seu?

Camarada, amigo e visitante da Festa do Avante e do Marxismo-Leninismo, eu tinha uma espectacular resposta, laboriosa e, permita-me, genialmente preparada para responder à sua resposta.
Tinha uma explicação psicológica da grunhice, uma divisão da grunhice em diferentes formas de manifestação, a relação destas tipologias com a burguesia e com o povo, uma anexação do Alberto João a uma grunhice mais popular, uma análise aprofundada da origem dos termos "brejeirice" e "populismo", uma concordância com a sua anti-classificação da grunhice enquanto conceito geral, uma piada sexual, um piropo dirigido pó shôr e uma lambidela virtual no seu escroto!
No entanto, a função pública exige mais empenho e tempo do que o normalmente publicitado e, assim sendo, tive por várias vezes de interromper a redacção daquele que seria o golpe de misericórdia à sua fraca capacidade de argumentar contra mim, este colosso da bricolage, como o Shôr bem sabe! (Foda-se!... isto dito a sério merecia-me um murro nos cornos.) Devido a estes consecutivos constragimentos acabei por encalhar numa frase que, abandonada a meio pela necessidade de atender dois beneficiários e um telefone, não mais consegui retomar, fazendo com que perdesse definitivamente o fio à meada, para minha profunda frustração!

Assim, e perante o que é factual, declaro-me vencedor incontestável deste debate, sem dó nem piedade, e, se soubesse como o fazer, anexaria a esta posta uma fotografia da minha pessoa em pose vitoriosa, pisando o crânio decapitado do Shôr!

Touché!


quarta-feira, 15 de setembro de 2004

O Obral
Apesar de oficialmente o PS lhe ter retirado o apoio, Narciso Miranda já fez saber que não desiste de se recandidatar à Câmara Municipal de Matosinhos.
"Tenho obras, muitas obras, para outros mandatos", disse o narcísico troglodita.
"Quero muitos mandatos para poder continuar a obrar à vontade", era o que ele queria dizer.
A Factura
Depois de dois anos a procurar convencer o povo português da importância de cumprir o défice de três por cento, a maioria de direita admite agora que não só as contas públicas continuam desgovernadas como, afinal, cumprir os três por cento não é assim tão importante.
Soube-se agora, finalmente, outro dado muito importante, a factura.
Entre 2000 e 2004, ou seja, durante os últimos anos do Governo PS mas sobretudo durante os dois primeiros de PSD/PP, o Estado português foi "obrigado" a gerar receitas extraordinárias de mais de 7,6 mil milhões de euros.
Em bom português, isto quer dizer que, em quatro anos, o Estado andou a vender ao desbarato património que pertence (pertencia...) a todos os portugueses, no valor de 7,6 mil milhões de euros, para agora o Governo vir dizer que, afinal, tudo está na mesma e que temos de continuar a apertar o cinto.
É arrepiante pensar em tudo o que de útil poderia ter sido feito com tanto dinheiro, que acabou por ir parar aos bolsos de boys, assessoras de imagem e outros poços incompreensíveis.
Chá das cinco
Os gentlemen ingleses perderam a compostura e invadiram hoje a Câmara dos Comuns. Não por causa do desemprego ou da guerra no Iraque, mas porque este órgão continua a insistir na abolição da caça à raposa.
Mais um exemplo de um povo que tem os líderes que merece.
A Grunhice

Este post começou por ser um simples comentário ao post do Fanica - A Liga Protectora dos Animais Adverte - sobre o Alberto João Jardim. Todavia, por constrangimento de caracteres, ou simples incapacidade de síntese, decidi-me pelo arregaço das mangas. Ora cá vai disto...

Antes de mais (fica sempre bem começar o segundo parágrafo assim), introduzo um pouco de rigor científico: "O povo só deve amar-se literariamente. Só ama o povo quem não conhece o povo" (não volto a repetir, Fanica).

Sem prejuízo da justeza destas palavras, sempre achei por bem não associar sem reservas a postura popular ou populista de alguém, ou mesmo brejeira, ao "o povo" propriamente dito.
Daí que discorde da opinião do Fanica.

Alberto João não é do povo. Nenhum madeirense do povo, por exemplo, pode gastar 8 ou 9 anos em Lisboa a fazer uma licenciatura como Alberto João gastou.
Alberto João não é do nem é o Povo. Nunca foi ou será, por mais que tente e consiga parecer.

Não será um preconceito, de todos nós, achar que a rudeza, a pouca afabilidade, a bebedeira pública, são patrimónios classificados, cultivados, protegidos e únicos do povão? Julgo que sim.

Sem esquecer quer a condição de advogado do diabo do Fanica quer a sua menção a algum novo riquismo, insisto na tecla do preconceito. Por que não velho riquismo em vez de novo? Por que raio um comportamento bronco tem invariavelmente de ser ligado ao povo e não à burguesia?

Que Alberto João Jardim não tem uma conduta própria de um político com as suas responsabilidades é um facto. Daí a dizer-se que a sua postura é à pobre ou à rico, à esquerda ou à direita, à povo ou à burguesia, à clero ou à nobreza, vai uma enorme distância.


Recordo-me de, há já uns anos, ter frequentado, por razões familiares, uma festa, em que, supostamente, estaria reunida a nata do jet-set alentejano (sim, o Alentejo tem jet-set), e onde a meio da noite se discutia futebol (vejam lá que a burguesia fala de futebol, aquela indústria que potencia a venda de bifanas em roulotes e insultos aos árbitros!) com um conjunto de tios sportinguistas a massacrar um tio benfiquista até este se decidir pela liminar tirada: “É isso, é isso, mas no Jamor levaram 3 mais um very-light”. Erudito, sem dúvida.

Se há coisa que o materialismo dialético não explica (e há muitas, graças a Deus) é a grunhice.
A grunhice não tem classes.

A Liga Protectora dos Animais Adverte:

Caros amigos da esquerda desunida,

Há algo que me faz imensa confusão: como é que se pode defender o poder do povo e, contracensualmente, vir depois criticar e ridicularizar o dito povo quando este ascende na cadeia alimentar?
Vamos lá perceber uma coisa: o Alberto João Jardim É o povo! É brejeiro, tem maus modos, fala alto, adora bailes, tira macacos do nariz e cospe para o chão! Além disso diz o que lhe apetece da forma que lhe apetece, sem olhar a cortesias, protocolos, obrigações ou deveres de qualquer ordem. É mau político porque, embriagado pelo poder (ainda por cima está lá quase desde de que nasceu), deixa que o seu ego controle a Região Autónoma da Madeira. Como se sabe, as duas grandes funções de qualquer ego que se preze são defender-se e obter prazer. Assim, se o duelo entre este ego e a razão for desigual (neste caso para o lado do ego) estamos no campo daquilo que arrisco apelidar de "a patologia da normalidade".
É isto o povo! Se lhe juntarmos a sobrevivência do mais apto num capitalismo canibal, uma pitada de sal e deixarmos marinar numa espécie de novo-riquismo aplicado ao poder, obtemos o Sr. Jardim!
"Quem ama o povo não conhece o povo!" disse-me alguém um dia. Concordo (principalmente agora que estou na administração pública)! O povo é uma figura romântica, literária e ideológica! Uma vez tornada realidade revela-se bem mais feia e crua...bem mais Alberto João Jardim!

Ass: Advogado do Diabo


Às Vezes Concordo Com Um Socialista ou Outro

“Num Estado democrático normal, Alberto João Jardim já não estaria no lugar que ocupa. No mínimo, seria aberto um inquérito para saber se está em condições psíquicas de cumprir o seu mandato.”

Vicente Jorge Silva, comentando a decisão de Alberto João Jardim de expropriar o Diário de Notícias da Madeira, na sequência da publicação de uma reportagem sobre o envolvimento de madeirenses no negócio da pornografia na Internet.

terça-feira, 14 de setembro de 2004

Diário de Um Camionista

Os cartazes de promoção do Freeport de Alcochete fazem-me alguma espécie. Neles figura uma senhora de algum garbo, em tamanho gigantone, de perna aberta sobre a ponte Vasco da Gama e arejando-se em anatomias que a minha fina educação me priva de referir.

Apesar de, pessoalmente, achar alguma piada à coisa, não seria mais indicado colocar a dita senhora de perna aberta sobre a Via do Infante, a publicitar o Festival do Marisco de Olhão?

Aqui fica a sugestão.

segunda-feira, 13 de setembro de 2004

Highlight do discurso de Bagão Félix ou Descubra as diferenças
"Não vale a pena consumir energias com aparências(...)".
Por favor comparar com "Santana Lopes contrata relações públicas da LUX como assessora de imagem, paga a três mil euros por mês".
Défice de coerência
Em vários sinais que se têm multiplicado, o Governo prepara-se para deixar cair o dogma do défice inferior a três por cento do PIB.
Aplaudo esta decisão, que sempre defendi.
No entanto, por que raio isto acontece agora?
Porque Bruxelas flexibilizou as regras, e o défice é para cumprir mas, se tal não for possível, não faz mal.
Ou seja, basicamente aquilo que vinha acontecendo até aqui, como provaram nos últimos anos a Alemanha e a França, que desrespeitaram o défice, não só não lhes aconteceu nada como mereceram de Portugal um voto de apoio nesse caminho.
Portugal, o país cujo Governo colocou na penúria, em nome de um estatuto de aluno bem comportado que não tem dinheiro para comer mas anda sempre bem vestido.
O altar do défice, em que o povo português foi sacrificado nos últimos anos, é o cúmulo da aberração tecnocrata dos conservadores que ocupam o Governo.
Dois anos depois, as contas públicas continuam tão desgovernadas como antes, mas vêm aí eleições.
Esta maioria defendia que os 3 por cento eram importantes, tinham de ser cumpridos porque espelhavam o empenho no equilíbrio das contas públicas. Foi conseguido à custa da venda de património DE TODOS NÓS, a situação fundamental está exactamente igual e o povo na miséria.
Com eleições à vista, afinal o défice não interessa nada.
Com mais esta prova de incoerência, cujo conteúdo saúdo, temos a derradeira prova de que andámos dois anos, e outros se seguirão, a passar mal em vão, em nome de um capricho, um slogan, um simples argumento político para poder dizer mal dos antecessores.

A produtividade, ora nem mais!
Na questão dos aumentos salariais para 2005, o Governo tem uma ideia-chave, que mais não passa que recuperar o velho chavão ultra-liberal da produtividade. Ou seja, os salários não podem crescer acima da produtividade, com o argumento de que o país não pode gastar mais sem que se produza mais.
Ora isto levanta alguns problemas.
Primeiro- toda a gente sabe da dificuldade em medir os aumentos da produtividade, mede-se de forma diferente nos sectores público e privado, etc. Portanto, o Governo bem pode encher a boca com esta grande palavra, que não passa de uma falácia como as outras.
Segundo- num mundo ideal, o conceito de ligar a produtividade aos aumentos não é necessariamente reprovável. Mas, naquele em que vivemos, a questão não poderá estar aí, porque é uma ficção dizer que só pode dar-se aumentos se a produção de riqueza crescer. Para haver maior justiça, o fundamental não é mais riqueza, é, em primeiro lugar, distribuir bem a que já existe, e é óbvio que, se essa distribuição justa fosse feita, com toda a certeza haveria dinheiro para aumentos.
Este Governo continua a falar de justiça social mas recusa-se a incomodar os amigos e enfrentar o verdadeiro problema de desigualdade social deste país, que é a fraude e evasão fiscal. Alguém que não faz os ricos pagar aquilo que devem pagar não pode falar de justiça social.
Apanhem o dinheiro graúdo que todos os dias foge aos cofres do Estado, das grandes empresas e empresários, e deixem de se esconder na criação de nova riqueza.
Chega de slogans conservadores para que continuem a ser os pobres a pagar a crise.
A frase
"Cinco por cento no salário de Bagão Félix é demais, é muitíssimo, de facto. Mas 25 euros de aumento no salário de um português? O ministro que diga se acha muito."- Carvalho da Silva, no Diário Económico.
Sugestão gratuita para um eventual atentado da Al-Qaeda
Hoje, ou amanhã, no Pavilhão Atlântico, durante o concerto de Madonna.
Tachos e panelas
Depois do tacho dado pelo PSD a Luís Delgado, no cargo de presidente da Lusa, o nosso ódio de estimação recebeu agora não outro tacho, mas um panelão, estando na calha para a presidência do grupo Lusomundo, da Portugal Telecom.
Por este andar, o senhor vai deixar de ser apenas o gajo mais idiota do mundo para se tornar no primeiro ser humano trem de cozinha.
Esqueletos no Armário

Auto proclamado 'mulher-a-dias' do tasco, decidi limpar os links para blogs defuntos.
Com tanto cadáver, o Vodka já parecia uma casa mortuária. Pior, pior eram os góticos que já começavam a rondar a casa. Duas razões fundamentais:
a) não há cú que aguente Moonspell;
b) roupa preta em Setembro ainda faz algum prejuízo em termos olfactivos.
Más notícias

Pesquisa indica que o optimismo retarda envelhecimento.

Por este andar o Luís Delgado fica cá até às 150 primaveras. Fosga-se.

sexta-feira, 10 de setembro de 2004

Subtileza popular
A fortíssima bancada parlamentar do CDS/PP diz que "nem só de Finanças vive o país", pelo que já anunciou as questões a que prestará mais atenção na próxima sessão legislativa.
As áreas contempladas são os Assuntos do Mar, o Turismo e o Ambiente.
Só poderá ser coincidência serem membros do PP a ocupar agora estas importantes pastas governamentais.
Numa atitude injusta para quem se preocupa mais com o país que com o seu mini-partido, o DN arriscou um título mauzinho: "CDS/PP promove os seus ministros".
Pois.
Não faz mal. A malta paga.
Este país está perdido!
Pela primeira vez em oito anos, em 2004 foi possível entrar numa Universidade de Medicina em Portugal com uma média inferior a 18 valores. Acho incrível a forma como se baixa a fasquia nesta área tão importante. Muito naturalmente, todos os médicos que visitei durante a minha vida eram génios, vindos dessa elite dos 19 plus, mas qualquer dia nem sequer escrever sabem!
A loucura das manhãs
Odeio manhãs. Se eu fosse um jornal, era A Capital de antigamente.
Gosto de estar acordado, mas não gosto nada de ter de acordar. Só gosto quando estou de férias e acordo para ir à praia ou tomar um Guronsan ou simplesmente para ir comprar o jornal e tomar o pequeno-almoço.
Acordar para trabalhar, sobretudo se for cedo, é uma grandessíssima merda.
Mas se há uma coisa que eu odeio mais que o acordar são os "Programas da Manhã" da rádio. Foi assim que, até ele aparecer na televisão lá de casa, nunca tinha reparado que existia um fenómeno chamado Nuno Markl. E não me fazia falta nenhuma.
Eu sou daqueles felizardos que começa a trabalhar às duas da tarde. Nas poucas vezes em que o trabalho ou outra coisa qualquer me fazem acordar mais cedo, odeio o mundo.
E odeio sobretudo os "Programas da Manhã", em que os apresentadores são todos enérgicos e pseudo-divertidos e com aquela radiofónica voz de "sou um ganda maluco".
As manhãs activas são injustificáveis, e qualquer tentativa artificial de o suavizar é apenas mais areia para os olhos do povo, que se devia levantar em armas e instituir a proibição do trabalho matinal.
Eu percebo que, se calhar, estes programas até desempenham qualquer função, como entreter o pacóvio parado no trânsito e fazê-lo esquecer que a sua vida é uma merda sem sentido. Para esse efeito recomendo o álcool e as drogas. É mais caro, mas é também muito mais eficaz.
O slogan do "Programa da Manhã" da Antena 3 é o fantástico "Acordar é uma loucura!".
Gostaria de desafiar o autor dessa frase a, um dia em que esteja disponível, estar presente na minha cerimónia de acordar, já que ele gosta da loucura do acordar.
Prometo brindá-lo com o meu ritual habitual, uma sessão de peidos que demonstra o meu apreço pela manhã e uma performance que, infelizmente, me parece ser impossível de repetir, na mesma intensidade, em qualquer outra altura do dia.
Esta manhã estive perto de tocar o hino nacional, na alvorada, mas a meio esqueci-me da letra.
Vamos ajudar o mundo
Façamos um Bush melhor. Eu já comecei.

http://funny.ansme.com/politics/bush/build.html
Diz que Sim

Tony Blair admite: "Armas de destruição maciça podem não ser descobertas»

E debaixo do tapete, já viram bem?

Segundo o "The Guardian", o Grupo de Inspecção do Iraque, que ao longo de dois anos tentou encontrar armas de destruição maciça no Iraque, vai confirmar a inexistência desses arsenais aquando da ofensiva militar anglo-norte-americana.

quinta-feira, 9 de setembro de 2004

A verdadeira notícia
Por entre Santanices e futeboladas, uma notícia se destacou nos jornais de hoje, sintomática do tipo de sociedade que estamos a desenvolver.
"Pelo menos um milhão de pessoas suicida-se em todo o mundo anualmente, um valor que já ultrapassa o número de mortos devido a guerra e homicídio, de acordo com um estudo hoje divulgado em Genebra. Segundo a Organização Mundial de Saúde, o problema continua a agravar-se, devendo o número de suicídios aumentar pelo menos 50 por cento para 1,5 milhões por ano, nos próximos 15 anos".
Dá que pensar.
Portugal à conquista do mundo
A multinacional Helmans que se cuide, agora que entrou em cena um produtor alentejano que faz maionese com tremoços.
Não usa ovos, é mais amiga da saúde e é feita de produtos bem portugueses, já tendo encomendas de vários países europeus.
Sempre achei que o tremoço era um animal subvalorizado.
Dúvida existencial

Será que num frigorífico com internet que apanhe vírus, os alimentos ficam estragados?

Off Shore

Sempre nutri uma certa inveja dos surfistas, o contacto com a natureza, o bronze de 365 dias e o wax no cabelo.

Além de tudo isto, agora até têm Womans on Waves para dropar!

quarta-feira, 8 de setembro de 2004

SMS Braindead
Ligo a TV e vejo, no rodapé, a seguinte mensagem, ou msg:
"Oi ppl do Sol, paxem mais Evanescence".
Paxem?! Mas que raio de merda é esta?!!! Isso é suposto ser bueda cool???!!!
Tipo: "O Manéli! Paxa-me aí o xal, pá!".
Yes, very cool. Broncos do caralho!
E eu é que era da Geração Rasca....

segunda-feira, 6 de setembro de 2004

O obscuro universo do pop/rock português

Chegou às minhas mãos um cd, no minímo, surreal. Já tem uns anitos mas só agora tive a oportunidade de ouvir e, melhor ainda, ler o booklet que contém umas preciosidades dignas de transcrição:

Biografia do Pop/Rock 1997 Movieplay

"Liderados por Filipe Mendes, considerado ainda hoje um guitarrista de génio, os Chinchilas formaram-se em 1967 no Porto, sendo um grupo pioneiro da onda do rock psicadélico em Portugal... e aparecem aqui com uma versão de I'm a Believer, de Neil Diamond, tornada conhecida pelos Monkees"

"Formados em meados de 1963, os Titãs foram das primeiras bandas à Shadows surgidas em Portugal, ... grupo que, a partir de 1967, se vocalizou, com a entrada de José Lello, ex-Conjunto Sousa Pinto, actual secretário de Estado das Comunidades."

"Famoso pelos seus saltos à Tarzan em palco, vestido de Cabedal Preto, Victor Gomes e os Gatos Negros eram os verdadeiros reis dos festivais do teatro Monumental no início da década de 60. Rocker com carisma, Victor não chegou nunca a gravar com a sua banda, não existindo qualquer registo da sua loucura em palco."

"Os Mini-Pop, que mais tarde deram origem aos Jáfumega, são talvez o primeiro exemplo em portugal de uma banda de adolescentes, uma boys band."

"Daniel Bacelar, o Ricky Nelson português, hoje em dia oficial de tráfego da TAP."

" De seu nome verdadeiro José das Dores, Zeca do Rock gravou um único disco considerado o mais raro vinil nacional do género."

"Os Charruas, grupo ié-ié da Escola de Regentes Agrícolas de Santarém, foram o baptismo de música de Danny Silva"


Vilar de Perdizes a capital!

Sô Filipe garante que a erva afrodisíaca, "Sempre Jovem", originária de Angola, faz com que as mulheres "fiquem mais frescas e apertadinhas para os seus companheiros”.

Ana Pitinha, por seu lado, diz que não vende a erva a qualquer um: "Aqui há dias veio um padre comprar esta erva, dizendo que era para um vizinho. Algum tempo depois, voltou e disse-me que aquilo tinha funcionado bem... Só quando ele foi embora é que dei conta de quem a tinha usado era ele e que, por certo, a foi usar nas mulheres dos outros. Não leva mais nenhuma”.

sexta-feira, 3 de setembro de 2004

O Pai Natal existe (e chama-se Francisco Penim)
Galáctica e a série integral de Seinfeld são duas das apostas da nova grelha da Sic Radical.
Tradição
Quero apenas regozijar-me com o ressurgimento dessa bela tradição portuguesa de vandalizar as instalações fascis...aaaa...partidárias do CDS/PP.
O próprio partido, conservador e como tal amante das mais ancestrais tradições, salientou que o ritual estava mesmo em risco de se perder, por já não ser praticado no nosso país desde o longínquo ano de 1975.
Felizmente, a tradição ainda é o que era!
Com muito gosto II!
O Hard Rock Café Lisboa, esse ícone da vida cultural lisboeta onde se pode comer um bife de cinco contos ao som de música de merda aos altos berros, organiza no próximo domingo o certame mais aliciante da rentrée.
É o espectáculo "Keep Queen Alive", uma sentida homenagem à imortal banda de Freddie 'Scary' Mercury.

Buga?
Com muito gosto!
O progresso cultural tardou mas já chegou a Portugal, pela mão do Freeport Outlet Lisboa, que por acaso é em Alcochete.
A tão aguardada inauguração está marcada para 9 de Setembro, sendo que de então até dia 11 a organização brinda o parolo portuga com o seguinte cartaz de concertos (à borla!!):
- NonStop
- Delfins
- Ronan Keating
- Tom Jones

Buga?
Finalmente uma boa notícia!
"2004 vai ser o melhor ano dos últimos 10 para a produção de vinho em Portugal", in Semanário Económico.
"I have a cunning plan!"

Bush tem «plano para construir mundo mais seguro»

Os membros inflitrados do Vodka na CIA tiveram acesso a esta elucidativa imagem:


Tomem lá e embrulhem

Descobri por acaso um post, sobre o aborto, de um blog chamado Controversa Maresia. Embora não seja política da casa não resisto a transcrevê-lo:

" A fúria anti-despenalização das vacas frígidas que por aí mugem, enoja-me. Note-se: o que me agonia não é que sejam anti-despenalização (posição que respeito, se defendida com tino e bom-senso), mas sim que o gritem histérica e raivosamente, com aleivosia e baixeza, e com aquele maniqueísmo próprio de quem se acha do lado dos "bons", cuja missão divina é lutar contra os "maus", os outros, os assassinos de criancinhas.Após terem parido os três a seis filhos da praxe e esgotado os nomes de baptismo de reis portugueses, alcantilam-se ao posto de defensoras da vida, como se o amor delas pelas crianças fosse maior que o dos outros.Enquanto isso, enxotam a ninhada para os braços das natashas, estas ucranianas são do melhor, muito limpinhas e caladas, não interessa se não falam português, com as crianças não é preciso conversa, basta que as mantenham à distância e vinquem bem os colarinhos, enquanto nos servem mais um uísque. Olhe, já agora, vá ali comprar tabaco, vá, e o menino saia e feche a porta, que a mãe tem de se arranjar que hoje vai sair com um amigo.Depois, periodicamente, vão a Espanha limpar os úteros, que prole grande e alargada, quer-se só do marido e não dos amigos com quem se brinca de vez em quando.De dia, entre as ressacas e os chás (onde congeminam maneiras de lixar o mundo e a malta de bem) vão à Igreja, genuflexizam-se , benzem-se muito, pedem perdão a deus e levam os miúdos a mil e uma actividades, pode ser que se cansem e não chateiem, vêem como somos boas mães e gostamos deles, vêem, tão disponíveis que nós somos.No entretanto, os maridos empresários e chefes de gabinete andam a comer a secretária, quer à canzana ou à missionário, senhor doutor, que quando dá azar também chutam para a mesma clínica, que coincidência, quem sabe, se calhar ela já se encontrou com a legítima na sala de espera, tome lá o cheque, a menina sabe que não podemos, seria um escândalo, o dinheiro é todo da minha mulher, percebe.Ou então, médicos, daqueles que se recusam a laquear as trompas da drogada que já largou quatro filhos seropositivos, pensa bem filha, que ser mãe é uma benção de Deus, tens a certeza, vê lá isso, depois arrependes-te, porque as crianças são o melhor do mundo, por isso manda vir mais uns quantos, que a gente está cá para isso, mesmo que nasçam com novecentos gramas de peso e a agonizar de dores, com a súbita privação da droga que lhes vinha da desnaturada que as carregou no ventre. Mesmo que sejam chutadas para centros de acolhimento onde desesperam durante anos, catando migalhinhas de carinho e afecto. Porque não se pode privar as "crianças" por nascer do direito a uma vidinha, mesmo que de merda, afinal, só deus nosso senhor pode dizer se vão ser apenas pedaços de carne indesejada, cuspida e escarrada ou crianças felizes, com direito a uma infância e tudo.Os nossos, abortamos e abandonamos nós (porque abandonos, há muitos) . Os dos outros, deus nosso senhor é que manda, nós damos uma mãozinha, pode ser que ganhemos um lugar no céu ou (melhor que isso) no prime time, e o resto da humanidade que se lixe.
Grandes hipócritas e filhos da puta."

quinta-feira, 2 de setembro de 2004

Já a formiga tem catarro, hã?!
João Proença, o sindicalista/Diácono Remédios adorado pelo patronato, exigiu hoje aumentos de salários de 4,5 por cento para 2005.
Fontes atónitas dizem-nos que, ao receber um desiludido telefonema de Bagão Félix, Proença baixou a exigência para um por cento, e depois aceitou uma redução de 3,5 por cento, um par de ténis e uma Termo Tebe.
Troca-tintas
Na quarta-feira, o primeiro-ministro proferiu afirmações que, para os mais crédulos, poderiam indiciar a abertura para uma mudança da lei sobre a interrupção voluntária da gravidez.
Citemos.
"Devemos fazer a avaliação do que foi o resultado da aplicação da lei em vigor, que é uma avaliação que deve ser feita em permanência, e irmos preparando um novo tempo, porque nem as sociedades são estáticas, nem as leis são estáticas, nem os referendos são estáticos", acentuou Pedro Santana Lopes à saída de um encontro com o Presidente da República, no Palácio de Belém.
"Depois de abrir o ano parlamentar teremos ocasião de debater esta matéria com outra calma e outra serenidade", acrescentou Santana Lopes.
Mas hoje, apenas um dia depois, o senhor foi finalmente chamado à razão pelos beatos que abundam nos partidos da maioria, nomeadamente no CDS/PP.
Perante a imprensa, coube hoje ao secretário de Estado da Presidência do Conselho de Ministros, um boy chamado Domingos Jerónimo, clarificar o pensamento do primeiro-ministro (!!!!!).
Então clarifiquemos.
A lei não será nunca mudada na actual legislatura, que dura até 2006, porque "não poderá haver um mudar de posição em função dos compromissos que o anterior e o actual governo assumiram para esta legislatura".
Ou seja, a negociata política que esteve na base da coligação, deixando o Governo nas mãos do CDS, impede que se resolva um gravíssimo problema de justiça e de saúde pública, apesar de vários responsáveis, entre eles o primeiro-ministro, admitirem tacitamente que a lei terá de ser alterada.
Eles já vislumbram a razão, sabem que estão errados, mas estão dispostos a deixar que passem mais dois anos de mulheres julgadas e em risco de vida, até que termine (será?) um mero negócio entre dois partidos.
Um aborto de associação
A Confederação Nacional das Associações de Família, um dos lobbys de direita apoiados/financiados por Bagão Félix ameaçou hoje processar judicialmente as organizações portuguesas que convidaram o barco das Women on Waves a visitar o nosso país.
No seu comunicado, de leitura hilariante, saliento alguns pontos.
A confederação opõe-se a "todo e qualquer projecto legislativo que aponte para a despenalização do aborto", um acto que considera ter de ser condenado, por estar "errado" e constituir "uma abominação".
Magníficos argumentos.
Mas a minha frase preferida é aquela que fala da "embarcação vulgarmente conhecida por Barco do Aborto ou Barco da Morte".
Barco da Morte?! Conhecido vulgarmente por Barco da Morte?! Onde?! Na capela onde vocês vivem?!
É magnífico ver a largueza de vistas da beatada...
Manifesto Anti-Moscas

Serão as moscas os bichos mais chatos do mundo? Deixo criteriosa questão a vosso julgamento: para mim são!
As moscas são pequeninas e pretas e têm olhos verdes (o que não as torna mais bonitas).
As moscas voam de cá para lá e voam de lá para cá. Pousam ocasionalmente em qualquer sítio que escolhem sem aparente critério. Ei-las de novo no ar. De cá para lá, de lá para cá. Hiperactivozinhos animais. Irritantes.
As moscas pousam em merda e pousam em comida a seguir. Fogem de sacos com águas nos parques de campismo. São animais sem a minima noção de higiene! Comem merda, chafurdam na merda, conhecem na merda outras moscas com quem, na merda ou noutro lugar qualquer, dançam estranhos bailados em fast-forward ao som de nenhuma melodia. São bichos sem sensibilidades artística!
As moscas pousam na minha testa. Quando as enxoto, pousam na minha bochecha. Quando as enxoto, pousam na minha nuca. Quando as enxoto, pousam na minha mão. As moscas pousam em pontos do meu corpo nos quais nem a minha mãe toca. Enxoto-as e elas voltam. Pousam no mesmo sítio ou noutro qualquer...mas pousam. Falo com elas. Tento explicar-lhes. Voltam a pousar. As moscas não são bichos razoáveis!
Chego ao jardim. Sento-me. Quero ler. As moscas não deixam! Voam em meu redor com um zumbido enervante. Pousam em mim fazendo-me cócegas. Pousam nos meus óculos não me deixando ver. Coço-me. Abano-me. Desconcentro-me. Apetece-me chaciná-las. As moscas são bichos ansiogénicos.
As moscas têm patas a mais para quem passa a maior parte do tempo no ar. Não são funcionais. Se as moscas fossem "cheiráveis", cheiravam mal. Tenho a certeza. Mas não são. Disfarçam com misterioso desodorizante o horrível odor que ostentam. As moscas são bichos falsos.
As moscam fritam em estranhos candeeiros de luz azul em restaurantes e cafés, não se tornando mais comestiveis por isso. As moscas são bichos intragáveis!
As moscas e os seus filhos, os mosquitos, sujam os nossos automóveis nas auto-estradas. As moscas são bichos que não sabem morrer sem incomodar quem seja. Fazem fortunas à Raid e à Dum-Dum e a todas as outras marcas de insecticidas. Criam tendinites e artrites reumatóides às velhinhas que ainda utilizam mata-moscas manuais.
Quem gosta de moscas? Quem sente falta das moscas (tirando alguns batráquios e répteis...a quem os conjuges não beijam na boca)? Quem respeita as moscas?

Morram as moscas, morram...Pim!

quarta-feira, 1 de setembro de 2004

O Valente e o Corno Manso
Depois de um ensurdecedor silêncio de Santana e Portas, as duas grandes figuras do Governo, sobre o barco das Women on Waves, o líder do PP e do executivo português falou finalmente.
Aconteceu em directo na televisão, numa conferência de imprensa no Largo do Caldas, com a bandeira portuguesa ternamente entrelaçada na do CDS/PP. Aí, em sua casa, Portas foi um valente, falando grosso e dando largas à sua veia autoritária e fascistóide, com a bandeira azul e amarela a lembrar-nos do que ali se tratava, da enésima afirmação do PP como cabeça do Governo.
É particularmente significativo que Paulo Portas, habitualmente mais agradado com a presença de marinheiros e submarinos de plástico, tenha feito a intervenção na sede do seu partido.
Santana vê, fica incomodado, mas não diz nada. Coligação oblige. Perante as câmaras, dá uma justificação esfarrapada de apoio à decisão de Portas, dizendo que o seu partido (o tal PPD/PSD) tem visões internas diferentes sobre a matéria de fundo em causa.
E Sampaio? O Ranger de Belém que, quando indigitou Santana, lembrou o controlo que faria sobre a actuação do executivo (apesar de ninguém ter acreditado)?
Sampaio foi, mais uma vez, o corno manso, o último a saber.
Recusa-se a pronunciar-se sobre a matéria, como se falar fosse crime (ou será que já é outra vez crime?).
Decide mandar um bitaite, lembrando que ninguém lhe perguntou nada sobre a utilização dos navios de guerra no controlo dos seis perigosos terroristas holandeses, apesar de ser, aparentemente, o comandante supremo das forças armadas.
Imagino que nem dormiu na noite anterior, a preparar essa venenosa farpa lançada ao Governo.
Voltando ao valente Portas.
Agora, fora da sua sede, já não é assim tão valente, servindo-se da maioria parlamentar como guarda-costas, vetando a sua presença em conferência de líderes para discutir a matéria.
Um último ponto, já muito dissecado mas que é importante referir, dada a sua pertinência.
As duas justificações, a saúde pública e a ordem pública.
Problema de saúde pública são as milhares de mulheres que sofrem na pele as consequências de um aborto mal sucedido, porque feito sem condições.
Quanto à ordem pública e ao respeito da lei nacional.
Um aborto praticado em águas internacionais, logo fora da jurisdição portuguesa, é exactamente a mesma coisa que um aborto praticado em Badajoz e em Londres. Mas não estou a ver os militares portugueses a controlar os portugueses que partem para esses destinos.
O Governo português precisa dessas clínicas, porque com o trabalho que fazem limitam o número de mulheres que recorrem a abortadeiras de vão de escada, e cujas consequências vão sobrecarregar o sistema nacional de saúde.
A hipocrisia atinge níveis que eu, já pessimista por natureza, nunca esperei.